Destaques :

Solla comemora assinatura de ordem de serviço para construção do Hospital Clériston Andrade II.

Site Acontece na Bahia.

Prefeito Ricardo Mascarenhas comemora reabertura do Aeródromo Estadual de Itaberaba com a expectativa de impulsionar desenvolvimento

Resultado da seleção do cursinho pré-vestibular gratuito é divulgado. Confira os selecionados do Campus XIII em Itaberaba

São Desiderio: Rui autoriza reforma de 125 km da BA-463

Valença: Jovem é flagrada com cocaína escondida dentro de urso de pelúcia

Cabrália: Assaltantes matam agricultor com oito tiros e levam R$ 39 mil de venda de terras

Posto perto da Brasilgás é alvo de assalto; homem amarrou funcionária e levou R$ 5 mil

Guaratinga: Pais e alunos quebram ônibus em protesto contra condições de veículo

Rafael Jambeiro: Funcionária pública é morta a tiros na garupa de uma moto

Teixeira de Freitas: Secretário é acusado de agredir cidadão

Itaetê: Prefeito de é acusado de nepotismo e condenado a pagar multa

Feira: DTE apreende carga de cocaína de meio milhão que seria vendida na Micareta

Homem invade palco e dá golpe de capacete para salvar ‘Jesus’ em peça teatral; veja Homem invade palco e dá golpe de capacete para salvar ‘Jesus’ em peça teatral; veja

Dívida pública federal tem menor custo desde 2010

Itaparica: Manutenção interrompe abastecimento de água na Ilha nesta terça

Blogueiro Júnior Queiroz é entrevistado pela Rádio Esperança FM

Rastreamento do câncer de mama atende mulheres de Anagé a partir de sexta

Santa Cruz da Vitória: Decisão obriga prefeitura a manter concursados

Iaçu: Foragido da justiça de São Paulo é preso após denúncias de moradores

segunda, 18 de fevereiro de 2019

Regional

Dívida pública federal tem menor custo desde 2010

Dívida pública federal tem menor custo desde 2010

Foto: Reprodução / Folha Rondoniense

Dados divulgados pelo Ministério da Fazenda nesta segunda-feira (26) apontam que o custo médio da dívida pública federal atingiu o menor patamar desde abril de 2010. O custo médio acumulado nos últimos 12 meses, número que inclui o endividamento interno e externo do país, passou de 10,06% ao ano, em janeiro, para 10,01% ao ano, em fevereiro.  De acordo com a Agência Brasil, o custo médio mede a rapidez com a qual a dívida pública federal vai crescer, caso seja o cenário econômico atual se mantenha. “Quando o custo é menor, a dívida cresce, mas não tão rapidamente quanto em um cenário com juros maiores. O custo médio mais baixo significa que a dívida vai crescer, mas não tão aceleradamente”, explicou o coordenador-geral de Planejamento Estratégico da Dívida Pública, Luiz Fernando Alves. Em fevereiro, a dívida chegou a a R$ 3,582 trilhões, um aumento de 1,53% em relação a janeiro. A redução, segundo Alves, é referente à queda da taxa básica de juros (Selic), instrumento usado pelo Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No início de 2018, a Selic estava em 7% ao ano. Em janeiro, foi reduzida a 6,75% e recentemente, foi a 6,5% ao ano. Além da Selic, a inflação também tem impacto no custo da dívida. Apesar da redução, a projeção ainda é de crescimento da dívida. Para este ano, a meta é que as contas do governo fechem no negativo, com déficit primário de R$ 159 bilhões.

O que achou desta notícia ?